Publicado por Osvaldo Cruz em 29/04/2018 às 5:37 pm Nenhum Comentário

IMAGEM_NOTICIA_5Auditores do Tribunal de Constas da União (TCU) suspeitam que um contrato de R$ 300 milhões do governo federal para viabilizar o BRT de Salvador, anunciado três dias antes da votação pela Câmara dos Deputados da primeira denúncia da Procuradoria-Geral da República contra o presidente Michel Temer (PMDB) no ano passado, desrespeita a Lei de Responsabilidade Fiscal.

A auditoria do tribunal detectou possíveis irregularidades na liberação de verbas do governo federal. Os R$ 300 milhões seriam destinados para a segunda fase de construção do BRT, parte via FGTS e parte via Orçamento Geral da União. O prefeito ACM Neto esteve no anúncio.

O DEM, partido que Neto é presidente, é uma das principais da base de Temer, e 23 deputados de sua bancada de 30 votaram para livrar o presidente da primeira denúncia na Câmara no dia 2 de agosto do ano passado.

Para os auditores do TCU, a liberação dos recursos desrespeitou a Lei de Responsabilidade Fiscal, pois a proposta foi assinada em meio a vários cortes na pasta e sem a conclusão de outros projetos em andamento. “Há, portanto, alta probabilidade da existência de grave infração à norma de finanças públicas voltada para a responsabilidade na gestão fiscal, haja vista que o Ministério das Cidades está firmando novos compromissos para repasse de recursos federais, mesmo num quadro de severas restrições orçamentárias e financeiras, e sem que os recursos destinados a empreendimentos em andamento estejam assegurados”, afirma trecho da auditoria instaurada.

O Ministério das Cidades passou por sucessivos cortes em suas verbas e, mesmo assim, liberou o dinheiro para implantação do BRT em Salvador. A legislação prevê que quando há corte de gastos, a prioridade é de obras em andamento ou emergenciais, o que impediria que o Ministério assinasse novos contratos antes de concluir os executados.

Questionado sobre a coincidência entre a data da assinatura do contrato e a votação da denúncia contra Temer, a assessoria de ACM Neto, também por meio de nota, repudiou “qualquer ilação sobre suposta irregularidade na assinatura do repasse de R$ 300 milhões” para o BRT. A prefeitura afirmou que recebeu o comunicado da Caixa sobre a liberação do recurso 40 dias antes da assinatura do contrato.

Com informações do BH/NOTICIAS

 

0 Comentários

Deixe o seu comentário!



Anuncio!
082728a6-4c02-45b9-a0b3-bd9082446bf8
Pablo
Chicol
N2
6989c3f5-95a1-4516-8a08-c1f5afdf2eb8
CGM
Fabiano
Gledson
feli
Cepahr
gg
correia
Neinha
Nery
Neto
Cinho
ze nunes
Nau
Bililiu
Marcos Lima
Ailton
Da Van
Gerusa
Presidente
Targino
Carlito
Ze
Lulinha
Ron
luiz
gilmar
0588c09d-29fb-4a76-b38f-18124c61808a
0ad30d01-5cfb-4eae-9ee3-4dc4731a0a16
3a6ba88c-bd6d-4715-9ff0-848957817313
21742913_398474310549713_538333983765388527_n
logo
ac2989e4-2a4a-4646-b359-36f246ef1e62
2c96748c-7aca-464f-a9f4-5edb11afe3da
082728a6-4c02-45b9-a0b3-bd9082446bf8
Pablo
Chicol
N2
6989c3f5-95a1-4516-8a08-c1f5afdf2eb8
CGM
Fabiano
Gledson
feli
Cepahr
gg
correia
Neinha
Nery
Neto
Cinho
ze nunes
Nau
Bililiu
Marcos Lima
Ailton
Da Van
Gerusa
Presidente
Targino
Carlito
Ze
Lulinha
Ron
luiz
gilmar
0588c09d-29fb-4a76-b38f-18124c61808a
0ad30d01-5cfb-4eae-9ee3-4dc4731a0a16
3a6ba88c-bd6d-4715-9ff0-848957817313
21742913_398474310549713_538333983765388527_n
logo
ac2989e4-2a4a-4646-b359-36f246ef1e62
2c96748c-7aca-464f-a9f4-5edb11afe3da

Enquete


    • Sorry, there are no polls available at the moment.

  • O Povo Fala